Welcome to our website !

O sonho que ela guardou

By 20:00 ,



Era uma manhã de domingo. Raquel estava acordada mas continuava deitada em sua cama. Ali, debaixo dos cobertores e com os olhos bem fechados, ela começou a se lembrar de todas as coisas que desejava quando tinha apenas 15 anos. Lembrou-se do seu velho all star de cano alto. Desejou nunca ter pintado seu cabelo de vermelho sangue. Arrependeu-se da tatuagem tribal que havia feito escondida dos seus pais. Tatuagem que já estava tão desbotada e era tão antiga que ela mal sabia porque estava pensando nela naquele momento. Raquel lembrou-se de suas amigas e todas as promessas que fizeram de nunca se distanciarem e do quanto ela amava todas aquelas tardes em que todas se reuniam na varanda de sua casa para conversar e rir até a barriga doer.

Raquel não era mais uma menina de 15 anos de sorriso fácil e sem muitas preocupações. Na verdade, ela estava na véspera de completar 30 anos e a sua vida era muito diferente da vida que ela sonhou que teria quando tivesse essa idade.

Em meio a tantos pensamentos e respirações profundas para impedir as lágrimas de caírem, ela deparou-se com os pensamentos de um sonho muito antigo. Sonho pelo qual ela até tentou ir atrás, mas que infelizmente, por causa de algumas virgulas da vida, ela precisou deixar de lado. E naquele instante, uma sensação incontrolável de tristeza, tomou conta do coração de Raquel e foi impossível segurar todas as lágrimas que escorreram por sua face como se não tivessem fim.

Entre muito choro, soluços e abraços com o travesseiro, Raquel buscou dentro de si uma explicação para tal sentimento descontrolado. A única explicação que ela encontrou foi que aquele sonho ainda estava muito vivo dentro dela. E que o sonho que ficou trancafiado por quase 15 anos, estava lutando para vir a tona.

Ela secou as lágrimas, sentou-se em sua cama e olhou para a enorme estante de livros que ficava no canto direito do quarto. Estante que estava impecavelmente organizada por cores. Aquela era a maior paixão de Raquel: seu livros.
Era uma parte dela que a acompanhava desde muito antes dos seus 15 anos. Era o lugar onde Raquel ficava por horas sentada no chão vivendo cada parágrafo daqueles livros.

Bem no fundo do seu coração, mas bem lá no fundo mesmo, de uma forma que ela procurava com todas as forças ignorar, todas as vezes em que Raquel trazia mais um livro pra sua coleção, ela lia aquele livro imaginando como seria se ela o tivesse escrito. Ela imaginava qual desfecho daria pra aquela história e qual nome combinaria melhor com aquele personagem. E aos poucos sem perceber, em sua mente Raquel criava histórias e histórias que nunca saíram de dentro de si.

Mas naquela manhã, ela não desejou mais uma estante cheia de livros de centenas de autores diferentes. Ela não desejou pegar o seu blazer preto de todos os dias, descer até a garagem, entrar em seu carro e dirigir 40 minutos até o trabalho. Naquela manhã ela desejou realizar tudo o que a Raquel de 15 anos desejava. Ela decidiu ter a mesma coragem daquela menina de sorriso fácil. Ela decidiu viver todos os sonhos que havia se proibido de sonhar.

Aos 30 anos? Sim. Aos 30 anos ela decidiu que estava na hora de viver seus sonhos. Que não era tarde demais ou que seria difícil recomeçar com algo que ela era apenas expectadora. Raquel olhou apenas para o seu sonho. Lutou diariamente em uma jornada dupla, para ir atrás daquilo que ela amava e daquilo que pagava suas contas. Durante o dia ela era a Raquel de 30 anos que vestia um blazer preto. Durante a noite ela era a mulher sorridente, que vestia pijama lilás e meias de florzinhas, sentada na frente do computador, perdendo a hora enquanto criava suas histórias maravilhosas e cheias de emoção.

Não foi fácil. Mas ela sabia que não seria. Por 2 anos ela dedicou-se inteiramente a lutar por seu sonho. E finalmente chegou o dia. Aos 32 anos, Raquel entrou em uma livraria e foi abordada por inúmeras pessoas pedindo seu autógrafo. O livro de Raquel estava entre os lançamentos mais vendidos daquele semestre. Aos 32 anos, Raquel finalmente realizou o seu sonho e tornou-se uma grande escritora.


0 comentários