Fiz faculdade e não trabalho na área


Oieee amores, tudo bem com vcs?
Liberei lá no canal um vídeo falando sobre a minha experiência em fazer uma faculdade e depois não querer trabalhar na área.

Eu sei que muitas pessoas já passaram por isso, então resolvi bater um papinho bem de amiga sobre o que penso a respeito e o que acredito ser a melhor solução.

Vem conferir o vídeo e se você já passou por isso, conta pra mim aqui nos comentários.


Descanso Merecido


Oieee amores, tudo bem com vcs?
Estava um pouco sumidinha por aqui, mas na semana passada tive uns probleminhas que já estão resolvidos e contei um pouquinho nesse vlog.

Eu e o marido nos demos um dia descanso com direito a piscina, almoço fora, passeio e até basquete. kkk

Vem conferir tudinho no vídeo:
😆😆😗

Egoísmo momentâneo.



Com o telefone ainda na mão direita, ela olhou para as paredes do quarto como se estivesse procurando algo. Já eram quase meia noite e aquelas palavras badalavam em seu coração. Eles não haviam brigado e acho que se desentendido ainda era muito, eles apenas escolheram as palavras erradas para aquele momento. Talvez tenha sido um desses momentos bobos onde se fala o que não se deve, mas ela não estava arrependida, ela só queria um motivo para defender o que afirmava para todos a sua volta.

Naquela noite ela estava a procura de um abraço, um carinho e um colo aconchegante. Talvez naquele momento aquilo era pedir muito. Ele não estava com os mesmos sentimentos "melancólicos" que ela. A cabeça dele estava a mil por hora, cheia de preocupações e planos. E ela ainda estava ali querendo atenção. Foi quando em algum momento egoísta daquela conversa, cada um virou para o lado, disse tchau e desligou.

Deitada naquela cama ela começou a desejar tantas coisas diferentes. Colocou uma música qualquer apenas para que aquele momento tivesse uma trilha sonora. Sua cabeça estava em todos os sonhos que já teve e que um dia precisou abrir mão. Ela queria apenas um abraço envolvente para fazê-la ter, pela milésima vez, a certeza de que havia feito a escolha certa. Não foi fácil passar por cima de seus planos e sonhos. E aquele momento parecia tão egoísta.

De repente, quando uma lágrima começou a surgir em seus olhos, o telefone tocou. Era ele. Como todo amor e carinho, ele a fez sentir-se a mulher mais amada do mundo. Com apenas algumas palavras, ela pode ter mais uma vez a certeza de que a sua escolha era a certa e que nada seria capaz de separá-los. Muito menos um egoísmo momentâneo.

No calor da situação falamos coisas que acabam machucando quem está ouvindo e a nós mesmos.

Ela não dança mais.



Era uma noite de primavera. Ela estava deitada no sofá após um longo e cansativo dia de trabalho. Seus pés estavam doloridos e suas costas ainda mais. Todos haviam saído com seus "pares", mas ela estava ali deitada na companhia de suas dores. Uma música qualquer começou a tocar e quando ela menos percebeu, aquela solidão começou a incomodar o seu coração.

Nenhum ser humano nasce para viver sozinho. E por mais que as vezes ela desejasse ficar sozinha, naquele momento, tudo que ela queria era alguém que a fizesse sorrir. Ele poderia dizer a frase boba que existisse, ela sorriria apenas pelo aconchego de ter alguém ali se esforçando para vê-la sorrir. A inquietação daquela solidão foi se tornando tão intensa que ela já nem sabia mais no que pensar ou o que fazer para se esquecer que estava ali sozinha.

Ela aumentou o volume da música que tocava e, como uma tentativa desesperada, ela esqueceu as dores que estava sentindo e começou a dançar. Todos aqueles acordes e sinfonias foram tomando conta do seu corpo e transparecendo em forma de movimento. Enquanto dançava, lágrimas rolavam em sua face. Ela se esqueceu de suas dores físicas e apenas a dor da alma pulsava em seu corpo. Corpo este, que parecia flutuar em cada movimento daquela dança. Não se tratava de uma coreografia ou de um estilo de dança, era apenas a sua alma extravasando todas as suas dores.

Quando a música acabou, ela deitou no chão com o seu corpo já transpirando e se lembrou do motivo que havia feito com que ela parasse dançar. Hoje, ela não dança mais. Nem mesmo passinhos ensaiados. E ela não dança mais por causa de todas as lembranças que a dança traz ao seu coração. Ela se lembrou que a dança sempre existiu em sua vida como forma de refúgio. Sempre que algo incomodava o seu coração, ela dançava para não ter que lidar com determinada situação. Mas com isso, ela foi acumulando sobre a dança, todas as suas piores lembranças, emoções e sensações.

Dançar só fez com que ela se lembrasse que mais uma vez estava ali sozinha. Sentindo as mesmas dores, com motivos diferentes. Ela não quer mais voltar a dançar por que não quer mais se esconder e um movimento. Naquela noite de primavera, ela só queria alguém que a fizesse sorrir sem depois ser o motivo de suas lágrimas.

Nem todo dia faz sol


Eu amo os dias de sol. Amo a forma como as nuvens fazem desenhos no céu. Amo ficar sentada na minha varanda admirando o dia. Mas nem todos os dias são assim. As vezes o céu está tão nublado que não é possível enxergar se quer uma pontinha azul. As vezes o dia perde o brilho. Perde a vivacidade.

Ultimamente tenho pensado no quanto amo os dias de sol. Tenho pensado no quanto nos tornamos mais dispostos quando temos sol por um período maior. Ultimamente tenho sentido saudade dos meus dias de sol. Parece que aqui dentro está chovendo tanto que até as paredes já estão ficando úmidas.

É engraçado pensar que somos tão ingratos a ponto de precisar sentir falta para dar o devido valor. Nesses dias de tanta chuva, senti saudade de caminhar pelas avenidas largas. Senti saudade do calor escaldante que me fazia reclamar 30 vezes ao dia. Senti saudade de cobrir meu rosto com o caderno da escola e depois da faculdade, para me proteger do sol.

Está chovendo tanto aqui dentro. E por mais melancólico que pareça, o que me alivia é sentar aqui na cadeira da cozinha, pegar o computador e começar a falar sobre tudo o que me faz falta. Normalmente eu falaria com Deus, me abriria pra Ele. Mas nos últimos dias, tenho sentido medo de conversar com Ele e começar a murmurar ou questionar a sua vontade. Então, nos meus dias de chuva, tenho preferido expor aqui e depois eu só peço pra Ele me dar um colo.

Depois de tanto escrever sobre o que eu sinto, e não sobre o que eu quero ou desejo pra esse momento. Eu deito no sofá, fecho os meus olhos e peço pra Ele me dar um colo. E ali fico quietinha, sem falar nada, sem murmurar, apenas fico ali. Ouço minha respiração, alguns lágrimas caem e depois de algum tempo me levanto com a certeza de que Ele me olha com olhos de amor. Ele me entende sem que eu precise dizer nada. Me levanto, com o coração grato por poder depender dEle.

Nem todo dia vai fazer sol. As vezes a chuva vai ser calma e as vezes vai vir em forma de tempestade. Por isso fico aqui, quietinha. Respirando fundo. Descansando. Eu sei que depois de uma tempestade, o sol vai estar lá. E ele vai brilhar com ainda mais força. Eu vou agradecer pelas chuvas fortes. E vou esperar o sol acabar com todo a umidade das paredes.

Meu look: Divirta-se mais

Oiee amores, tudo bem com vcs?
Na cidade de vcs tem chovido muito? Aqui em Jundiaí tem chovido todos os dias. Pensem na dificuldade para sair fotografar.

Mas enfim, o look de hoje é uma proposta mais menininha e divertida.
Espero que gostem.

😍😍









Hoje não tenho muita referência de onde as peças são.
Sei apenas que o tênis é ADIDAS e a blusinha foi das lojas Pernambucanas.😎
Mas é isso, espero de coração que tenham gostado.

Um super beijo. 😚😚😚

Já assistiu?